COMENTE

Sua opinião é importante. Comente, critique, sugira, participe da discussão.

quarta-feira, 23 de março de 2016

FLORIANÓPOLIS, 343 ANOS

Por Luiz Carlos Amorim – Escritor, editor e revisor, Fundador e presidente do Grupo Literário A ILHA, que este ano completa 36 anos de literatura, Cadeira 19 da Academia Sulbrasileira de Letras. Http://www.prosapoesiaecia.xpg.uol.com.br    

E a capital da nossa Santa e bela Catarina completa mais um aninho, neste 23 de março. Mas não são apenas 290 anos, tão jovenzinha que era até o ano passado: neste ano de 2016,ela completa 343 anos. A partir deste ano, não se considera mais a emancipação do município de Laguna em 1726, mas sim a data de fundação, em 1673. O projeto de mudança foi vetado pelo atual prefeito, mas a Câmara de vereadores derrubou o veto em 02.09.2015 e a capital torna-se a capital mais antiga do sul do Brasil. O marco zero de Florianópolis passa a ser a chegada do bandeirantes Dias, que permaneceu aqui, caracterizando a fundação do povoado.
As comemorações oficiais já foram mais entusiásticas, em outras épocas. Este ano Florianópolis comemora pouco e timidamente o seu aniversário, infelizmente. Serão os tempos de crise? Mas em anos anteriores as comemorações também foram mornas…
Florianópolis é mágica, não só pelo mito das bruxas, mas pelas suas belezas naturais, e merecia ser mais comemorada. A capital catarinense tem dezenas de praias belíssimas, tanto na ilha quanto no continente: praias de águas mansas ou de mar agitado, de acesso fácil ou por meio de trilhas, com infra-estrutura ou semi-desertas. Tem a Lagoa da Conceição: “Num pedacinho de terra / beleza em par! / Jamais a natureza / reuniu tanta beleza / jamais algum poeta / teve tanto pra cantar!”, como já dizia Zininho, em seu “Rancho de Amor à Ilha”, hino oficial de Florianópolis. Tem também a Ponte Hercílio Luz, que apesar de não ser mais usada é o cartão postal da cidade, conhecido no mundo todo e tombada como patrimônio histórico e artístico. O poder público promete devolvê-la aos florianopolitanos, mas a data sempre é empurrada para frente. Agora prometem para 2018. Será?
Tem as rendeiras, tradicionais, que ainda fazem a renda de bilros, criando peças belíssimas. Tem a velha figueira, centenária, na Praça XV, a receber todos sob seus tantos longos braços, outro cartão postal. Tem os manezinhos, nativos da ilha, gente acolhedora e alegre que faz desta terra um lugar feliz. Infelizmente, a violência e a insegurança aumentam nesse pedaço de chão privilegiado.
Essa terra, abençoada por tanta beleza, cativa a gente de tal maneira, que uma vez aqui, é difícil ir embora, é difícil deixá-la.
Parabéns, Florianópolis, por mais um aniversário. Beijo o teu chão e desejo, veementemente, que a tua beleza maculada com a violência e a ganância, com desamor e desprezo pelo ser humano e pela natureza deixe de ser refém de criaturas indignas e de todos aqueles que a ferem, para que, num futuro próximo, possamos comemorar com mais alegria o seu aniversário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário