COMENTE

Sua opinião é importante. Comente, critique, sugira, participe da discussão.

terça-feira, 28 de julho de 2015

FESTA LITERÁRIA CATARINENSE


    Por Luiz Carlos Amorim – Escritor, editor e revisor - Fundador e presidente do Grupo Literário A ILHA, 35 anos de trajetória, Cadeira 19 na Academia Sulbrasileira de Letras. -Http://www.prosapoesiaecia.xpg.uol.com.br

Em meados de 2013, a imprensa catarinense anunciava que a literatura de Santa Catarina finalmente passaria a ter um evento significativo, forte, representativo. Uma empresa baiana de eventos teria resolvido investir em Florianópolis e iria organizar uma festa literária do tipo da FLIP, de Paraty. Teríamos, enfim, escritores nacionais e internacionais como convidados num evento em Florianópolis, dando efervescência ao meio literário da capital.

A primeira edição da Festa Literária Internacional de Santa Catarina – Flisca, a princípio, deveria acontecer em meados ou mais para o final do segundo semestre de 2014 e teria mais de vinte convidados ilustres das letras: 9 locais, 8 nacionais e 7 internacionais. O local deveria ser o Forte de São José da Ponta Grossa, no norte da Ilha de Santa Catarina.

A Flisca integrar-se-ia ao calendário cultural de Santa Catarina e seria, a partir da primeira, itinerante, sem uma sede definitiva. Poderia acontecer em vários pontos do Estado. O projeto da festa já estaria elaborado, segundo a empresa idealizadora.

A perspectiva de uma revitalização no nossos meio cultural, de grandes nomes entre nós, de uma grande festa para aproximar leitores e escritores era e sempre será  alentadora. Novas ideias, diferentes maneiras de pensar, de ver o mundo, sempre são bem-vindas.
Pois passou 2014 e nada mais se disse a respeito da festa literária de Santa Catarina. Agora, em meados de 2015, leio na imprensa que está confirmada para outubro deste ano, ainda, a primeira edição da Festa Literária Catarinense, mas promovida por gente daqui, sem a interferência de nenhuma empresa baiana, a princípio. Pelo menos nada foi mencionado a respeito. A ideia é que a festa catarinense siga a receita da Festa Literária de Paraty. Esperamos e torcemos que assim seja. Precisamos de uma festa literária de grande porte em Santa Catarina, um evento para trazer grandes nomes nacionais e internacionais da literatura e da cultura e também para promover os nossos escritores e não só os “medalhões”, mas todos os novos talentos da terra.
O importante é que qualquer iniciativa neste sentido é bem-vinda. Os realizadores da festa, que deverá ter todos os eventos relacionados à literatura, como lançamentos de livros, palestras, debates e oficinas, tem à frente Valério Gomes, da Pedra Branca Cidade Criativa, com a parceria da Propague e da Editora Insular.
Como cogitado na primeira divulgação da festa que não aconteceu, em 2013, a festa literária barriga verde deverá entrar para o calendário cultural catarinense, mas não só catarinense: os organizadores falam em entrar para o calendário cultural brasileiro. Esperemos que sim. Precisamos de um evento importante assim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário