COMENTE

Sua opinião é importante. Comente, critique, sugira, participe da discussão.

quarta-feira, 7 de maio de 2014

FEIRA DO LIVRO NO LARGO DA ALFÂNDEGA



   Por Luiz Carlos Amorim – Escritor – Http://luizcarlosamorim.blogspot.com.br

Vou fazer o lançamento de meu livro infantil, FLEXA DOURADA, na Feira Catarinense do Livro, em Florianópolis, no Largo da Alfândega, no dia 8 de maio, quinta-feira, às 15 horas. E e a Urda Alice Klueger, a romancista mor de nosso Estado. Sim, na Feira Catarinense do Livro, que vai acontecer no Largo da Alfândega.

Pois é, apesar das dificuldades impostas pelo município, que não queria mais a realização da feira do livro no Largo da Alfândega, colocamos a boca no trombone, a Câmara Catarinense do Livro foi à luta e conseguiu-se que o evento seja levado a efeito, como nos últimos quatro anos.

Publicamos artigo a respeito, há algumas semanas, com o título “Como acabar com uma feira do livro”, em jornais aqui do Estado e também em alguns jornais pelo Brasil. Felizmente os responsáveis pela liberação do espaço no Largo da Alfândega voltaram atrás e a feira do livro volta ao seu lugar tradicional, até porque é o melhor local, já que fica no caminho do público que sai dos terminais e vai para o centro da cidade e vice-versa. O Largo da Alfândega fica no meio do fluxo de pessoas.

Agora o que falta é o apoio do município, do Estado, da União e da iniciativa privada, para que as feiras do livro de Florianópolis cresçam e deixem de ser apenas e unicamente oferta de livros. Não que a oferta de livro não seja importante, em absoluto. Tudo o que puder incentivar a leitura é importante, mas feira do livro tem que ser, também, debate, discussão, encontro de fomentadores da cultura. Feira do livro tem que ser mais, precisa ter a participação de personalidades do meio literário e cultural de fora, para que haja integração, atualização, troca de ideias com os produtores de cultura e de literatura aqui da terra.

Um comentário:

  1. Parabéns Luiz CArlos Amorim por mais este trabalho em prol da cultura.

    ResponderExcluir