COMENTE

Sua opinião é importante. Comente, critique, sugira, participe da discussão.

terça-feira, 16 de abril de 2013

JOINVILLE E A FEIRA DO LIVRO


Por Luiz Carlos Amorim - Escritor - Http://www.prosapoesiaecia.xpg.com.br
 
Fiz o lançamento de meu mais recente livro, “O Rio da Minha Cidade” – crônicas, Mencão Honrosa nos Prêmios Literários Cidade de Manaus 2011 na Feira do Livro de Joinville, uma volta às origens, pois morei quase vinte anos em Joinville. Nesse período, reuni os escritores da cidade no Grupo Literário A ILHA, que existe até hoje, prestes a completar trinta e três anos. Nos anos oitenta e noventa ainda não havia a feira do livro, mas havia a Feira de Arte e Artesanato, onde fazíamos lançamento de livros e levávamos a poesia para a praça em cartolinas penduradas em um fio, como roupas, o Varal da Poesia. Publicávamos a revista Suplemento Literário A ILHA, que continua sendo editada e fazíamos o Recital de poemas. Hoje a Feira do Livro dle Joinville, a maior do Estado, substitui o agito cultural que fazíamos em décadas passadas na Cidade da Poesia.

Um espaço amplo para as editoras e livrarias oferecerem milhares de títulos, auditório para apresentações, palestras, lançamentos, além de uma ótima praça de alimentação. E toda a estrutura do Centreventos para as oficinas, seminários, palestras, espetáculos de teatro, música e dança, etc. Sem contar a decoração, feita com pássaros e livros gigantescos, coisa que nunca havia sido feita numa feira do livro por aqui.

A quantidade de palestras, oficinas, encontros e debates quase se equipara às que estavam disponíveis no congresso brasileiro de escritores, do qual participei em Ribeirão Preto. Escritores de renome nacional, como Affonso Romano de Santana, Marina Colasanti, Mônica Buonfiglio, Ignácio de Loylola Brandão, Talita Rebouças, Roseana Murray e outros escritores e debatedores vindos de outros pontos do país e do mundo, como Rio de Janeiro, Recife, Belém, Belo Horizonte, Uruguai, Argentina estavam em Joinville. E olha que o moçambicano Mia Couto não pode vir. Uma pena.

Diversos assuntos foram debatidos durante toda a feira, como “Retratos da Leitura no Brasil”, “Ler o Mundo” – que eu já tive o prazer de assistir em Ribeirão Preto, quando Affonso Romano de Santana também participou -, “Jornalismo e Literatura”, “A família, a escola e a biblioteca na formação do leitor e do escritor”, “Mercado editorial para novos autores”, “A linguagem digital: desafios para uma outra leitura e outra textualização”, “O jornal como ferramenta pedagógica na sala de aula”, “A leitura como ação para o desenvolvimento do país”, e muitos outros.

Uma iniciativa de reconhecimento à prata da casa foi a participação dos escritores da cidade, com debates quase que diários, com vários lançamentos, com estande próprio no evento. A nova editora joinvillense, comandada pela escritora Célia Biscaia Veiga ,a Dialogar, também está presente na feira, com vários títulos publicados por ela.

A TV Senado também esteve na Feira do Livro de Joinville, para gravar entrevistas com os escritores convidados para o programa Leituras. Diversas entrevistas foram feitas, com escritores locais e com escritores que vieram de outros estados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário