COMENTE

Sua opinião é importante. Comente, critique, sugira, participe da discussão.

sexta-feira, 14 de junho de 2013

A EDUCAÇÃO BRASILEIRA E A ALFABETIZAÇÃO


   Por Luiz Carlos Amorim – Escritor – Http://www.prosapoesiaecia.xpg.com.br

Meu sobrinho de sete anos, Ramon, saiu-se com esta, recentemente, quando lhe deram um texto escrito em letra cursiva para ele ler: “Como é que vocês me dão uma coisa com uma letra que eu não sei ler?”

E ele tinha razão. Ele está sendo alfabetizado pelo sistema novo que inventaram, há alguns anos, para o ensino fundamental, segundo o qual a escola começa com as letras “de forma” ou “de livro”.  Ao contrário da sistemática antiga, na qual começava-se pela letra cursiva e só depois das famílias de sílabas, que hoje em dia já não se usam mais, quando a criança já começava a ler, é que se entrava com as letras de imprensa.

E, comprovadamente, as crianças têm muito mais dificuldade para aprender a letra cursiva depois da letra de forma. A maneira que se usava antes era muito mais prática, tinha uma sequencia que funcionava, mas os donos do poder, na última década, resolveram “modernizar” a educação brasileira e as nossas crianças, agora, estão aprendendo a ler e a escrever com oito, nove anos, por osmose, ao contrário de antes, que era com sete anos.

Então o Ramon tem razão de ficar indignado, pois se ensinaram para ele  primeiro a letra de forma, que é quase quadrada, com muitos traços retos e poucas curvas, não dá para esperar que ele reconheça um texto escrito em letra cursiva, até porque, se ele está no segundo ano, a esta altura talvez essa letra nova, toda cheia de curvas, grudada uma na outra, como se fosse um trenzinho muito comprido, não tenha sido apresentada a ele, ainda.

Precisamos que o MEC reveja a nossa sistemática de ensino, pois não está funcionando. Estão tornando o ensino cada vez mais fraco neste nosso país, com modificações que deveriam ser para melhorá-lo, mas na verdade o sucateiam cada vez mais.     

E não é só o conteúdo programático do ensino fundamental e médio que devem merecer atenção do poder público. As escolas públicas precisam de manutenção, de equipamentos, pois muitas estão caindo aos pedaços, literalmente, e os professores precisam de qualificação e salários decentes. A educação precisa de uma reforma de verdade, mas uma reforma que melhore o ensino público e até o particular, pois as modificações que foram feitas até agora foram só para encaminhar a nossa educação para a falência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário