COMENTE

Sua opinião é importante. Comente, critique, sugira, participe da discussão.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

FLORIANÓPOLIS, A CIDADE DOS RICOS


       Por Luiz Caros Amorim – Escritor – Http://www.prosapoesiaecia.xpg.com.br

Li a matéria “Os ‘sem lancha’ da Cidade Classe A”, publicada no jornal O Globo e reproduzida no Diário Catarinense, aqui de Florianópolis, do repórter Henrique Gomes Batista. Tem sido muito divulgado, nos últimos anos, pelo Brasil e pelo mundo, que a capital catarinense é um paraíso, que é o melhor lugar para se viver. A cidade é linda, suas praias são, talvez, as mais bonitas do mundo, sua Lagoa da Conceição é a personificação da beleza, sua ponte Hercílio Luz, sempre em reforma, é um atrativo a mais. Mas a propaganda que vem sendo feita nas últimas décadas, continuamente, traz muita gente para cá e não é só gente boa, não.

O DC, muito generosamente, comenta que a reportagem “reforça a imagem de um lugar especial para trabalhar e viver”. O que o senhor repórter do Globo fez foi afirmar, com muita ênfase, muito mais do que já vinha sendo dito, que Florianópolis é uma cidade de ricos, de cidadãos que podem ter até uma lancha, além de todo o resto.

Já no começo da matéria, o repórter afirma que “Florianópolis é a única capital que, até agora, não contou com qualquer empreendimento do programa Minha Casa Minha Vida”, como se a população fosse toda ela tão rica que não precisasse de financiamento para comprar suas casas. Quem foi que disse isso a ele? Ele foi à Caixa para saber se havia financiamentos do programa para moradores da capital? A afirmação já sugere, de cara, que não há “pobres” em Floripa.

Em seguida, para reforçar, ele diz que “a cidade tem a maior proporção de ricos entre as capitais.” E publica a afirmação de Mané Ferrari, presidente da Associação Catarinense de Marinas: “Hoje, ter um barquinho é desejo de muitos aqui, virou apetrecho familiar”. Ora, ter o desejo, todos têm. Mas daí a virar “apetrecho familiar”... Tenha a santa paciência.

Depois de dar vários índices e fatores reafirmando que nossa capital é muito rica, ele vem com outra pérola: a capital impede a ocupação desordenada e preserva a natureza e a população de Florianópolis é pequena, apenas 420 mil habitantes. Esse repórter deve ter ido direto para Jurerê e não saiu de lá. A cidade não tem mobilidade nenhuma, está travada, e a ocupação indevida é constante, em razão, mesmo, de propaganda como essa que ele fez. A natureza é cada vez mais desrespeitada, o poder público parece não se importar com o meio ambiente, a população vive cada vez mais insegura, com a violência, o tráfico e a mendicância.

E tem mais: nosso amigo repórter afirma que na Ilha não existe pobre, que os pobres são expulsos para o continente. Isso é  o que dá quando alguém se mete a falar de alguma coisa que não conhece. Deveriam ter contratado alguém daqui para escrever a matéria, alguém que vivesse aqui e realmente conhecesse a vida na capital. Não é verdade que na Ilha só há ricos e que no continente só há pobres. O nobre “jornalista” sabia que há favelas na Ilha?

Deveríamos exigir que houvesse uma retratação, que fizessem uma nova matéria sobre o tema, contando as verdades como elas são. Para não atrair mais personas non gratas que vêm para cá atrás das posses da profusão de gente rica que estaria vivendo aqui, segundo “jornalistas” como esse senhor Henrique.

2 comentários:

  1. Caramba! Que crônica "das boa" ! Concordo em todos os aspectos. Morei na ilha de Santa Catarina enquanto fiz meu curso universitário e trabalhei algum tempo.Na década de 70 dava pra ir à noite, de carro num instantinho, do centro até a Lagoa da Conceição (estacionar deixando o carro aberto) tomar um banho e voltar. Acredite quem quiser que eu ia sozinha, a pé, assistir a peças no TAC e voltava sem nenhum perigo. É chocante ver o que aconteceu com a capital mas o terror mesmo é o trânsito engessado. O que existe é um romantismo por parte de quem só vê a vida da capital catarina degustando um vinho numa praia. É lógico que há belezas naturais incríveis mas a insegurança é grande.Fatima/Laguna

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo questionamento da matéria, moro aqui a 3 anos e concordo em tudo que disse, parabéns mesmo!! morei em Goiânia e hoje vivo aqui! tem que mostrar a verdade que acontece aqui, não façam igual Curitiba.

    ResponderExcluir