COMENTE

Sua opinião é importante. Comente, critique, sugira, participe da discussão.

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

APOLÔNIA, PROFISSÃO ESCRITORA



Por Luiz Carlos Amorim – Escritor – Http://www.prosapoesiaecia.xpg.com.br  


Apolônia Gastaldi foi educadora, administradora, mas antes de tudo ela é escritora. E das boas. É uma grande representante das letras catarinenses, tem uma obra extensa e consistente que contempla a poesia, o romance, a crônica, o conto e até a literatura infanto-juvenil.

Seu primeiro romance foi “A Força do Berço - Herança”, publicado em 86, o primeiro volume da saga que teria cinco volumes e que teve o último publicado em 2012. Em 2005, a escritora de Ibirama publicou oito livros: a reedição de “Herança”, os outros 3 volumes da saga “A Força do Berço” – “Segredos”, “Sinais” e “Regresso”; “Mar” – poema; “Amor” – poesia; “Anjos Azuis” – romance infanto-juvenil e “Barra do Cocho” – romance que se transformou de imediato num clássico da literatura catarinense.

Apesar de não ter publicado desde 2005, a não ser em revistas e jornais, Apolônia continuou produzindo, ininterruptamente. E em 2012 ela publicou mais quatro novos livros: “Memórias” – contos; “Emoções” – poemas; “Destino de Mulher” – romance e “A Força do Berço V – Samir”, o último volume da saga. E ela acaba de terminar o novo romance “A Saga de Fausto”, tendo já começado outro, “A Magia de Ísis”.


Apolônia Gastaldi é uma das escritoras mais ecléticas e mais importantes de Santa Catarina. Não é à toa que sua obra está alcançando o país todo, esgotando sucessivas edições de seus livros. Uma distribuição eficiente tem feito com que seus livros cheguem a quase todos os estados brasileiros e leitores de todos os rincões tem tido o prazer de usufruir da sua criação e criatividade.

Como uma artesã da palavra que não para, ela está nos apresentando um novo livro, “Olhos Verdes”. Sobre o novo texto, a autora diz: “Um pouco distante destes mundos sujos, cruéis, eu criei uma história de uma linda menina de olhos verdes. Desprezada, ela não conhecia o carinho, nem o bem estar. Mas, eu resolvi fazer esta menina feliz. Só no meu livro; e você o que faz por elas? E o nosso país? E a nação, o que faz?”

Apolônia resolveu e fez. Ela cria uma personagem desvalida, sofrida e lhe dá uma vida. Uma personagem como tantas que conhecemos, mas que não têm o mesmo final feliz que a autora engendrou.

Com certeza, é mais uma grande obra de uma grande escritora.

 

2 comentários:

  1. Ola amigo escritor, eu sou de Recife, li um texto seu na Folhape e gostei bastante.Também escrevo crônicas,poemas e outros.Até agora não publiquei nenhum livro de poemas ou crônicas, mas pretendo. Gostaria de conhecer mais sobre você e sua obra.
    Foi um prazer ler textos seus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que leu meu texto, JM. Não cheguei a ver, sei que de vez em quando sai alguma coisa na Folha de Pernambuco, mas não tenho visto. Você pode saber mais sobre mim no portal Prosa poesia e cia, em Http://www.prosapoesiaecia.xpg.com.br
      Mande textos seus pelo meu e-mail lc.amorim@ig.com.br
      Umgrande abraço do Amorim

      Excluir