COMENTE

Sua opinião é importante. Comente, critique, sugira, participe da discussão.

domingo, 8 de julho de 2012

FELIZ ANIVERSARIO, CORUPÁ



A 14ª cachoeira da Rota das Cachoeiras, com 125 metros de queda livre

Por Luiz Carlos Amorim – Escritor – http://www.prosapoesiaecia.xpg.com.br/


Minha terra é terra fértil, de onde brota a vida, brota o verde, brota a cor e brota a transparência de rios e cachoeiras. A natureza, sábia, tem queda por Corupá. E existem inúmeras quedas dágua no vale verde da água, da flor e da cor.

Neste sábado a nossa pequena/grande Corupá esteve de aniversário, fundada que foi em 7 de julho de 1897. Beijo o chão desta terra privilegiada que a Mãe Natureza abençoou com tantas belezas, presenteando-a com tantas cachoeiras.

Parabéns a você, Corupá, Cidade das Cachoeiras, belíssimo Vale das Águas incrustado no pé da Serra do Mar. Parabenizo-a e peço a Deus que a conserve tranquilia e pacata, reduto de paz e harmonia no norte da nossa Santa e bela Catarina.

Tenho muito orgulho das belezas naturais que a minha terra possui, mas não sou egoísta e gostaria que todo o mundo visse toda essa riqueza em rios, cachoeiras, vales, montanhas, flora e fauna que temos aqui. Já defendi muito o desenvolvimento do turismo na nossa querida Corupá.

Mas hoje me convenço de que esse pedaço de chão sagrado não merece ser conspurcado pelas garras do progresso desmesurado. Que continue assim, pequena e singela, serena e aconchegante, um paraíso natural para a sua gente viver em paz, um lugar para podermos voltar para recarregar as baterias.

Não a quero cidade grande, Corupá, refém da ganância, da correria, do estresse, da modernidade a qualquer custo. Conserve a sua beleza, a sua simplicidade, que é assim que nós precisamos de você. A natureza é sua inquilina vitalícia, Corupá, e vai protegê-la sempre, assim como todos nós devemos protegê-la.

Cresça, mas não cresça muito, continue assim, a nossa a Corupá jovem e bela, o nosso jardim de todas as flores, de todas as frutas, o cartão postal do norte do Estado.

Parabéns, Corupá, e obrigado por existir. Tomara que todos saibamos reconhecer o seu valor e a importância que tem para o nosso presente e para o nosso futuro e que consigamos mantê-la assim, jovem e bela, para que nossos filhos e netos possam usufruir, também, da sua beleza.



Nenhum comentário:

Postar um comentário