COMENTE

Sua opinião é importante. Comente, critique, sugira, participe da discussão.

terça-feira, 5 de abril de 2011

O CONTEÚDO DOS LIVROS INFANTIS

Por Luiz Carlos Amorim – Escritor – http://www.prosapoesiaecia.xpg.com.br/

É cada vez maior a quantidade de livros infantis que vem sendo publicados. Não é de hoje que o gênero mais vendido em feiras e bienais – e nas livrarias, também - é o infanto-juvenil e isso dá incentivo às editoras, grandes ou pequenas, a investirem mais no gênero. É importante que haja quantidade e variedade deste gênero destinado aos leitores em formação, pois é só oferecendo livros, colocando livros nas mãos e diante dos olhos de nossas crianças que teremos mais leitores amanhã.
Mas será que o conteúdo desses livros, apesar da quase sempre esmerada apresentação gráfica, às vezes até luxuosa, tem consistência literária?
Não vamos aqui falar dos antigos e tradicionais contos de fadas, as clássicas fábulas, lidos de geração a geração há mais de uma centena de anos, publicados em incontáveis edições, das mais sofisticadas às mais baratas. Já nos ocupamos deles em outra crônica e não são eles os melhores conteúdos literários. Muitas daquelas fábulas não são nem politicamente nem educacionalmente corretas.
Vamos focalizar a literatura infanto-juvenil brasileira, tão fecunda e tão promissora: uma boa parte do muito que se tem publicado para o público infantil no Brasil é de grande qualidade literária, com excelente conteúdo. Existem, sim, aqueles livros com brilhante apresentação, com visual esmerado, mas com conteúdo que não acompanha a beleza das ilustrações e edição apurada: o apelo maior é mesmo para as cores e desenhos.
Mas há muitas edições infantis e infanto-juvenis que primam pelo conteúdo, tanto que às vezes podem prescindir da arte plástica, das ilustrações. E outras em que a qualidade literária acompanha a excelente apresentação gráfica, equiparando-se e complementando-se texto e ilustração.
Desde Monteiro Lobato temos tido, cada vez mais, bons autores de literatura infantil e infanto-juvenil em nosso país. Nomes conhecidos e consagrados em todo o Brasil e nomes com grande popularidade em seus estados, como é o caso de Santa Catarina, que tem dezenas de ótimos escritores de textos para crianças, alguns com projeção nacional.
Temos que prestigiar os nosso produtores de textos infantis e infanto-juvenis e comprar menos as fábulas importadas, que já não pagam mais direitos autorais e são vendidas a preços muito baixos.

2 comentários:

  1. Boa lembrança, Amorim. Realmente, os livros infantis estão muito lindos e atraentes, há algum tempo. Por isso as crianças começaram a se interessar. Antigamente, eram só os contos clássicos e mesmo assim eu adorava receber livros de presente, mas as crianças de hoje possuem muitas alternativas.

    ResponderExcluir
  2. Realmente, Marta. Ainda bem que há uma gama muito grande de literatura brasileira para crianças. Aliás, se prestarmos atenção, constataremos que a maior oferta nas feiras do livro é de livros infantis.
    Grande abraço do Amorim

    ResponderExcluir