COMENTE

Sua opinião é importante. Comente, critique, sugira, participe da discussão.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

LITERATURA CATARINENSE DE LUTO

Por Luiz Carlos Amorim – Escritor – http://www.prosapoesiaecia.xpg.com.br/

Hoje, pela manhã, foi sepultado o escritor Lauro Junkes, maior divulgador da literatura catarinense das últimas décadas, também professor e presidente da Academia Catarinense de Letras.
Eu o considerava um participante do Grupo Literário A ILHA, pois desde o início do grupo, há trinta anos, ele divulgou as nossas atividades, nossas publicações e publicou textos no Suplemento Literário A ILHA. Inclusive, para provar isso, ele é um dos verbetes do meu livro “A Nova Literatura Catarinense – Escritores Catarinenses e o Grupo Literário A ILHA”, volume com biografia, bibliografia, fortuna crítica e amostra da obra de autores que participam ou participaram do nosso grupo.
Lauro sempre foi um incansável leitor e pesquisador da literatura que se produzia e se produz nesse estado Catarina, além de resgatar a obra de grandes escritores da terra, como Cruz e Sousa, Luiz Delfino e tantos outros.
Santa Catarina perde o porta-voz da sua literatura, o homem que dedicou grande parte de sua vida a apreciar e avaliar os novos escritores catarinenses, revelando novos talentos e valorizando cada nova obra que aparecia.
Ele era a sentinela sempre atenta, tomando conhecimento de tudo o que se escrevia em Santa Catarina, para registrar, publicando sua apreciação para que o público leitor também soubesse das novidades.
É uma lacuna que dificilmente vai ser preenchida. Lauro Junkes era a literatura catarinense personificada. Temos outros divulgadores da literatura catarinense, mas o trabalho como ele o fazia, não se fará mais. Ele não era, simplesmente, um crítico literário: era um apreciador, um incentivador, um motivador da cultura em nosso estado.
Vai fazer muita falta. Os escritores, os alunos, os amigos, o meio literário e cultural catarinense já sentem a sua ausência, já sentem a imensa perda que os acometeu. A saudade que ele deixa é grande e vai ficar muito maior.

2 comentários:

  1. Amorim,

    Não só a literatura catarinense, mas, pelo que você nos conta, a brasileira também.

    Beijo

    Carla

    ResponderExcluir
  2. Caro Poeta Amorim quando a livraria Saraiva inaugurou sua loja no Iguatemi,em Florianópolis, foram homenageados Salim Miguel e Eglê Malheiros.
    Convidada pela Eglê fui a este evento onde tive a oportunidade de conversar, fotografar e filmar Lauro Junkes. Pessoa agradabilíssima. Quanto ao seu trabalho em prol da literatura catarinense, foi dos mais significativos. Um grande pesar, se abate sobre todos nós que amamos os livros. Uma grande salva de palmas e nossa eterna gratidão é o que merece nosso querido escritor Lauro Junkes.
    Abraço daqui da Laguna. Fatima

    ResponderExcluir