COMENTE

Sua opinião é importante. Comente, critique, sugira, participe da discussão.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

UM DIA DO LIVRO ESPECIAL

Por Luiz Carlos Amorim – Http://www.prosapoesiaecia.xpg.com.br

Hoje é Dia Nacional do Livro. Este ano, particularmente, temos que comemorar, pois está acontecendo, nesses últimos meses, uma revolução significativa na configuração do livro, na sua apresentação e na maneira de lê-lo, também.
Os e-readers – leitores eletrônicos de livros digitais eclodiram e estão se popularizando. Além do Kindle, que apareceu este ano com uma nova versão, melhorada, surgiu este ano o I-pad, leitor eletrônico multimídia da Aplle, e estão vendendo bem, além de outros aparelhos similares que já estão mo mercado.
Os e-book – livros eletrônicos ou digitais, que já existiam desde a década passada, deram um salto na oferta e já representam uma fatia, pequena, talvez, de venda no mercado editorial. As editoras, pelo mundo afora – e também no Brasil – muitas delas, algumas das grandes casas publicadoras, estão aderindo ao e-book, e já existe até uma associação delas nesse sentido. Uma boa parte delas já oferece livros eletrônicos, em seus sites, e algumas pensam seriamente em lançar senão todos, mas parte de seus títulos no novo formato.
O livro de papel, tradicional, no entanto, continua com toda força e vende cada vez mais. Também na confecção do livro impresso, está havendo uma revolução: foi inventado e está sendo produzido já em escala industrial o papel de plástico, feito a partir de lixo reciclável. O que diminui o desmatamento e favorece, portanto, o meio ambiente.
Então, podemos comemorar: temos um novo formato de livro, o eletrônico, que pode ser lido no computador, no celular e no e-reader, o leitor eletrônico. Alguns destes aparelhos, aliás, lêem jornais e revistas, além de livros, além de rodar filmes, conectar-se a internet, rodar jogos e assim por diante.
Em contrapartida, o livro impresso ganha força, com um papel que não rasga, é lavável e gasta menos tinta para ser impresso.
Vida longa ao livro, portanto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário