COMENTE

Sua opinião é importante. Comente, critique, sugira, participe da discussão.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

DINHEIRO PÚBLICO PARA EVENTO PRIVADO

Por Luiz Carlos Amorim – Escritor – http://www.prosapoesiaecia.xpg.com.br/


Vejo, no Twitter, notícia dando conta de que o Ministério Público de Santa Catarina abriu inquérito para apurar porque a Fundação Catarinense de Cultura repassou R$ 600.000,00 (seiscentos mil reais!) para o Donna Fashion, evento de moda da iniciativa privada.


Pois saibam que não é a primeira vez que isso acontece. No ano passado, houve o repasse de verba de 300 mil reais, pela Secretaria de Cultura Catarinense, de verba que tinha sido solicitada pela Câmara Catarinense do Livro para a realização da Feira do Livro de Florianópolis e que, na verdade, apenas transitou pela CCL, indo para a realização do Donna Fashion, um evento de moda. A Câmara Catarinense de Cultura ficou apenas de patrocinadora no evento e nem conseguiu realizar algumas das sessões de autógrafos programadas pela própria organização do Donna Fashion, no espaço destinado para esse fim, que era tomado para transmissão de reportagens no horário dos lançamentos.

Falei, na época, com um integrante da diretoria, já que o presidente da casa não se encontrava na cidade, e ele me disse que a gestão anterior da CCL vinha requerendo, há coisa de três anos, junto ao Estado, verba para realizar a feira do livro de Florianópolis e junto com ela, no calçadão do Largo da Alfândega, o Donna Fashion. O presidente anterior da Câmara achava que o fato de trazer o evento de moda para a Feira do Livro atrairia mais público para a feira do livro.

Só que, depois de tanto tentar, o Estado concordou em atender o pedido, mas inverteu o projeto, como bem pudemos ver: a verba saiu, mas a Câmara, ao invés de acolher o Donna na sua Feira do Livro, apareceria, apenas, como patrocinadora do evento fashion. Quer dizer: o dinheiro pedido para a CCL realizar a feira teria sido revertido para o Donna, evento que nem estatal é. E pior, através da Câmara. Não é muito estranho?

E a Câmara do Livro precisa dar tratos à bola para conseguir recursos para a sua Feira Catarinense do Livro, que acontece no início e também no fim do ano.

Até hoje ninguém explicou isto para os cidadãos catarinenses. Afinal, o dinheiro em questão é dinheiro público. Porque a Câmara Catarinense do Livro patrocinaria um espetáculo de moda, se ela tem a Feira do Livro para realizar? Não deveria ser o contrário, a CCL recebendo patrocínio para a sua feira do livro? As últimas edições da Feira do Livro de Florianópolis têm sido bastante fracas, em decorrência justamente de falta de verba para custear atrações paralelas e o convite a grandes nomes da literatura. E recursos públicos foram repassados para um evento privado, usando a Câmara Catarinense do Livro para despistar.

Paralelamente, o CIC está com a reforma se arrastando há mais de dois anos, o maior teatro do Estado está fechado, sem que se estivesse mexendo em nada nele. E, no entanto, a Secretaria de Cultura dá 600 mil reais para um evento que nem ao menos estatal é.

A educação, a saúde, a segurança, a infraestrutura em todo o Estado estão falidos, mas o Estado dá dinheiro para um evento privado. Pela segunda vez, pelo menos até onde sabemos. Esperemos que o Ministério Público apure e exija de volta as verbas repassadas. Até agora, porque deve aparecer muita desculpa esfarrapada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário