COMENTE

Sua opinião é importante. Comente, critique, sugira, participe da discussão.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

LIVROS "ESQUECIDOS"

Por Luiz Carlos Amorim – Escritor – http://www.prosapoesiaecia.xpg.com.br/


Tenho falado muito de ideias e iniciativas novas e criativas no sentido de incentivar a leitura, de incutir em cada vez mais pessoas o gosto de ler. Sempre que aparece alguém fazendo isso de uma maneira diferente, eu volto ao assunto.

Pois acabo de saber de mais uma iniciativa assim. Não é original, mas reciclar boas ideias também vale. Aqui em Florianópolis temos o projeto Floripa Letrada, do município, que consiste em coletar livros doados pela comunidade e colocá-los à disposição dos usuários do transporte coletivo, em três terminais da Ilha. Os livros ficam em estantes distribuídas pelos terminais urbanos e as pessoas que vão pegar o ônibus podem escolher livros para lerem enquanto esperam ou levá-los para ler em casa. Os livros são emprestados sem nenhuma burocracia, é só pegar e levar, mas a intenção é que eles sejam devolvidos para que outros pessoas possam levá-los, mas pouquíssimas pessoas devolvem, talvez nenhuma. Mesmo assim o projeto existe há um ano e cumpre o seu papel.

Já em Joinville, a Biblioteca Municipal e a Confraria do Escritor, uma associação de escritores criada este ano para congregar todos os autores da cidade, juntamente com a Biblioteca Municipal da cidade, idealizou o projeto “Soltos na Cidade”. Soltos na Cidade é uma das ações do município que fazem parte do Programa Joinville, Cidade dos Livros, e consiste em "esquecer" em vários pontos da cidade, vários livros de literatura. O projeto pretende deixar em praças, pontos de ônibus, bares ou qualquer outro lugar, livros que podem ser levados para casa e apreciados sem compromisso.

A primeira coisa que a pessoa lerá, ao abrir um livro do projeto “Soltos na Cidade” será o seguinte: "Esse livro chegou até você. Ele não pertence a ninguém. Está Solto na Cidade! Após ser lido, ele poderá ser deixado (esquecido) em praças, pontos de ônibus, bares ou qualquer outro local público, para que seja achado por alguma pessoa interessada em lê-lo. Faça o mesmo, libere os seus próprios livros para que outros possam aproveitá-los!”

Não é interessante? Ideia boa deve ser copiada. Se você tem livros que já leu e não tem onde guardar, se tem livros em duplicata, se é um escritor ou escritora e tem livros para doar, “esqueça-os” por aí, com uma anotação parecida com aquela aí de cima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário