COMENTE

Sua opinião é importante. Comente, critique, sugira, participe da discussão.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

O ANIVERSÁRIO DO POETA

Por Luiz Carlos Amorim – Escritor – http://prosapoesiaecia.xpg.com.br/

A crônica abaixo deveria ter sido postada ontem, dia 24, quando Cruz e Sousa completaria 150 anos de nascimento, mas por causa da dona GVT, minha internet não estava funcionando e o texto só vai para o ar hoje, dia 25.



Hoje o maior poeta catarinense de todos os tempos, Cruz e Sousa, completaria 150 anos de nascimento. Para comemorar, a terra onde ele nasceu, Florianópolis (ou Desterro, na época), preparou vários eventos. O Simpósio Cruz e Sousa debateu, com grandes nomes da literatura catarinense e brasileira, a vida e a obra do Cisne Negro, em quatro dias. Um selo em homenagem ao poeta foi lançado hoje, pelo Correio. Também hoje, as 18 horas, trinta e um atores declamaram poemas de Cruz e Sousa nos terminais de ônibus de Joinvile, Florianópolis, Criciúma, Itajaí, Araranguá, Blumenau, Curitibanos, Chapecó, Caçador e Lages. Após a apresentação dos poemas, foram distribuídos livros com a obra do poeta aos espectadores.

Dois filmes sobre o poeta foram exibidos na Fundação Cultural Badesc. E um CD com cinquenta poemas de Cruz e Sousa, declamados por cinquenta escritores catarinenses foi elaborado pela Fundação Catarinense de Cultura.

E mais eventos já foram ou serão levados a efeito. O reconhecimento que o grande poeta não teve em vida. Mas nada será o bastante para apagar o abandono em que o poeta morreu.

Pena que as homenagens, nenhuma delas das muitas que foram feitas, teve lugar no Memorial que leva o nome do poeta, ao lado do Palácio Cruz e Sousa, onde estão depositados os restos mortais dele. O local é muito pequeno e, apesar de ter sido feito para abrigar eventos culturais, não é apropriado para receber público, a não ser que seja bem pequeno.

Nosso respeito e nossa admiração por você, grande poeta. Feliz aniversário. De presente, meu poema em sua homenagem:

SAUDADE

(Luiz Carlos Amorim)

A poesia Catarina

tem um nome:

Cruz e Sousa.

A nossa poesia tem cor:

tem a cor da sua pele,

a cor alva dos seus dentes,

tem a cor do seu olhar,

tem a cor da sua alma,

a cor do seu coração;

tem todas as cores.

A poesia tem idade,

a idade da saudade:

mais de cem anos

de saudade do poeta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário