COMENTE

Sua opinião é importante. Comente, critique, sugira, participe da discussão.

sexta-feira, 29 de junho de 2012

DINHEIRO PÚBLICO NO RALO

Por Luiz Carlos Amorim – Escritor – http://www.prosapoesiaecia.xpg.com.br/    


Li nota na coluna em jornal catarinense sobre os muitos profissionais que prestaram serviço para o grupo de Paul McCartney, que esteve fazendo o show do ano aqui em Florianópolis, e até hoje estão esperando para receber. Tremendo calote. Mas o pior mesmo, é que o nosso Estado pagou aos organizadores, aos promotores que trouxeram o cantor para o show milionário por aqui, a bagatela de Oitocentos mil reais.


A título de que? Por que o Estado pagaria 800 mil reais por um show que não tinha nada a ver com o poder público, por um show pago pelos espectadores? Já não chegava a polícia militar que colocaram à disposição deles, para segurança do cantor e seu grupo, a despeito da segurança da cidade? Não era um espetáculo para o povo assistir de graça. Os ingressos eram pagos e bem pagos.

Que dinheiro público é esse que está sobrando em nosso Estado, enquanto a saúde está na UTI, não temos hospitais suficientes e mesmo os poucos que existem não tem equipamentos, não tem médicos? Há hospitais que tem equipamentos essenciais que estragam e não são mais consertados e que, por isso, pessoas têm operações importantes adiadas indefinidamente. Para isso não há recursos.

Por que não há dinheiro para contratar mais médicos, mais funcionários para os hospitais, para fazer reformas mais rápidas e decentes, para comprar equipamentos e treinar funcionários, mas para distribuir de mão beijada para quem não precisa há?

As escolas públicas são mostradas pelos jornais e pela televisão, todos os dias, caindo aos pedaços, literalmente, ameaçando cair em cima dos estudantes, sendo embargadas, sem que se faça reformas. Há escolas estaduais com mais de vinte anos que nunca foram reformadas. Falta escolas, falta equipamento nas escolas, falta reconhecimento aos professores que formam nossos cidadãos de amanhã, falta respeito à educação. Para isso não há dinheiro, mas para dar para um show de música que saiu muito caro para quem pode pagar a entrada e que não foi contratado pelo Estado, há.

A segurança parece não ter importância, igualmente. Não há policiais nas ruas, falta pessoal, mas não se contrata número suficiente de homens. No entanto, há policiais de sobra para colocar à disposição de stafs que nada têm a vr com a segurança pública. As delegacias e postos de polícia são fechados em todo lugar, a violência aumenta dia a dia, pois não há dinheiro para isso. Mas para pagar o show do Paul McCartney, para um show histórico em Florianópolis, tem. O que o Estado tinha com o show do cantor, para entregar dinheiro público?

Quem explica isso? Já vimos isso também em Florianópolis: o show de Natal de quase quatro milhões, com um famoso tenor, pago e não realizado, uma árvore de natal de quase quatro milhões, verba para o Dona Fashion - corre um processo na justiça - e assim por diante.

Senhor governador, onde está a prioridade às pessoas, tão propalada no seu programa de governo, quando era candidato? É essa a importância que as pessoas do seu Estado tem, nesse seu governo? A saúde, a educação, a cultura, a segurança, tudo está relegado à falência. Quando esse governo vai começar a funcionar?



Nenhum comentário:

Postar um comentário