COMENTE

Sua opinião é importante. Comente, critique, sugira, participe da discussão.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

VOCÊ, PAPAI NOEL

Por Luiz Carlos Amorim – Escritor –Http://www.prosapoesiaecia.xpg.com.br

Vem chegando o Natal. Apesar de ser propalado aos quatro ventos, por políticos e similares, que tudo está bem no Brasil, que o país nunca esteve tão bem, sabemos que não é bem assim. A educação está falida, a saúde na UTI, a segurança pública nunca esteve tão refém do crime e da violência e a pobreza ainda persiste. Há muita gente carente que precisa do apoio daqueles que tem o privilégio de ter pouco mais do que o mínimo necessário, e as crianças de famílias que não podem comprar presentes para seus filhos escrevem carta para Papai Noel, pedindo não só brinquedos, mas coisas necessárias a sua subsistência.
Como já disse em outra oportunidade, podemos ser Papais Noeis, nós, cidadãos comuns, pobres mortais. As cartinhas que crianças e até adultos escrevem para Papai Noel e enviam para um endereço qualquer, como o Pólo Norte, estão à disposição de quem quiser e puder atender um pedido, nas agências do Correio. De qualquer cidade, segundo afirmaram em uma matéria de telejornal, recentemente.
É só a gente passar lá e escolher uma ou mais cartas que estejam pedindo o que podemos dar e levar ao endereço do remetente, para entregar, pessoalmente, o presente a alguma criança ou até mesmo a um adulto.
É um grande presente para nós, doadores do presente a um irmão carente, a satisfação e a emoção de nos sentirmos Papais Noeis, de fazermos o mito virar realidade. De termos e de proporcionarmos um Feliz Natal.
Porque afinal, todos ganhamos um grande presente em todos os Natais: o nascimento do Menino que vem todo ano para lembrar-nos que Ele está conosco. Por que não dividirmos a alegria de recebê-lo e trocarmos presentes entre nós, também filhos de Deus?
Passe no correio de sua cidade, procure pelas cartas dirigidas ao Velhinho do Natal e seja mais um Papai Noel. Cada cartinha escolhida e atendida significa pelo menos duas pessoas felizes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário