COMENTE

Sua opinião é importante. Comente, critique, sugira, participe da discussão.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

PROMESSAS

Por Luiz Carlos Amorim – Escritor – Http://www.prosapoesiaecia.xpg.com.br


Eu não gosto, mas a propaganda eleitoral – ou as promessas que não vão ser cumpridas e muita lavagem de roupa suja – está em todo lugar e a gente acaba não conseguindo escapar dela. Antigamente havia horário eleitoral e só lá apareciam os candidatos com suas ladainhas. Agora os candidatos estão em todas os intervalos comerciais no rádio e na televisão aberta, então eles empurram goela abaixo da gente as suas obras primas.

Vejo promessas como passagens de ônibus gratuitas para todos os estudantes, creches e mais creches que atenderão os trabalhadores quando eles mais precisam, que é a época de férias escolares, e por aí afora. As promessas, se cumpridas, resolveriam problemas de muita gente, são mudanças que, se concretizadas, seriam muito bem vindas, e não seriam favor nenhum de nenhum administrador. Mas sabemos que não serão cumpridas. Até porque, se fossem, quem pagaria a conta seríamos nós. Que me desmintam os candidatos que se elegerem.

Penso que deveria haver uma lei que não permitisse aos candidatos fazerem promessas que não cumprirão, que são feitas apenas para que os eleitores deem seu voto. Porque depois de eleito, o prefeito ou vereador esquece do que foi prometido. Deveria haver um órgão fiscalizador – não há? - além do povo, que cobrasse a realização de tudo que o candidato eleito prometeu.

Mais: os candidatos eleitos deveriam ter um prazo para cumprirem o que prometeram em sua campanha. Até metade do mandato ou no máximo até completar três quartos do mandato, tudo o que foi prometido terá que estar cumprido, realizado. Nada deveria ser deixado para o final, pois senão nada será feito.

A lei da ficha limpa, infelizmente, não deu os resultados esperados, pois tem muito ficha suja concorrendo às eleições neste ano. Se nem isso, que é lei, está sendo cumprido, que esperar do resto?

Nenhum comentário:

Postar um comentário