COMENTE

Sua opinião é importante. Comente, critique, sugira, participe da discussão.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

CORUPÁ EM EVIDÊNCIA

Por Luiz Carlos Amorim – Escritor – Http://www.prosapoesiaecia.xpg.com.br


Como já disse em outra crônica, não gosto de novelas. Mas são duas novelas que estão colocando minha terra, Corupá, em evidência por todo o Brasil.
Começou com a novela Ana Raio e Zé Trovão, que está sendo reexibida pelo SBT e faz umas quatro semanas que a trama está localizada em Corupá, mostrando rios, cachoeiras, campos, o pequeno centro e um dos cartões postais da cidade, o Seminário Sagrado Coração de Jesus, com seu estilo gótico super interessante e bonito, travestido de castelo de Rudi.
Recentemente, começou outra novela na Globo, com um núcleo localizado em Florianópolis, mas não é por isso que tem a ver com Corupá. Uma das estrelas do novo folhetim é uma corupaense, Bruna Linzmeyer, que saiu da terrinha para ser uma atriz de sucesso em São Paulo.
Corupá está mostrando suas belezas na televisão para todo o país: as belezas naturais da cidade e a beleza natural da mulher corupaense.
É bastante divulgação para a Cidade das Cachoeiras, que tem muito o que mostrar. Seria bom se a cidade tivesse infraestrutura para receber mais turistas, porque cada vez mais pessoas vão se encantando com o patrimônio natural do Vale das Águas e muitos querem ver tudo de perto. A Rota das Cachoeiras, com suas catorze quedas d´água e o Seminário Sagrado Coração de Jesus são os carros chefes. O número de visitantes tende a aumentar.
O poder público da nossa pequena Corupá já havia melhorado um pouco o acesso à Rota das Cachoeiras, no Parque Emilio Battistela, mas a cidade precisa de mais investimentos: mais hotéis - e pousadas, campings, por que não? -, mais restaurantes – servir a comida típica da rigão, por exemplo, já que a região é essencialmente agrícola -, mais vida noturna, talvez. Sei que os moradores da cidade não merecem que sua paz e tranquilidade sejam perturbadas, mas quem sabe não seria possível conciliar as coisas? Dar mais conforto ao turista, sem descaracterizar as tradições e costumes do lugar, sem agredir o corupaense com progressos desnecessários.
É preciso pensar nisso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário